Os Cavaleiros do Zodíaco: Saga de Hades retorna ao catálogo da Netflix

22 de maio de 2011

Dica de Quadrinhos: Caixa Especial Snoopy

Durante os últimos anos a editora L&PM tem lançado no Brasil os livros de bolso de "Peanuts", com quadrinhos de Snoopy,  Charlie Brown e toda a turma criada por Charles M. Schulz. Os primeiros volumes desta coleção foram reunidos em uma caixa especial, que pode ser adquirida aqui. O box traz as cinco publicações iniciais da coletânea: "Snoopy e sua Turma!", "Feliz Dia dos Namorados!", "Assim é a Vida, Charlie Brown!", "4 É Natal!" e "Posso Fazer uma Pergunta, Professora?". Ao todo, são cerca de 712 páginas!

Publicada pela primeira vez em 1950, Peanuts traz como personagem principal Charlie Brown, um menino inteligente e um tanto melancólico, cujo sonho é organizar um time de beisebol; ele é o dono de Snoopy, um cão da raça beagle cheio de imaginação. Lucy, Linus, Sally, Schroeder, Patty Pimentinha, Marcie e o passarinho Woodstock completam a cativante turma.

Charles Monroe Schulz, criador das tiras Peanuts, nasceu em 26 de novembro de 1922, e, desde o nascimento, os quadrinhos tiveram um papel importante em sua trajetória. Durante a adolescência, Charles e seu pai compartilharam um ritual: todos os domingos de manhã liam juntos os quadrinhos dos jornais. Entre 1947 e 1949 publicou a tira Li´l Folks no St. Paul Pioneer Press, seu primeiro trabalho reproduzido com regularidade. O nome Charlie Brown, utilizado pelo primeira vez nessa tira, mas não era o mesmo personagem que se tornou conhecido por Peanuts.

Depois de muitos "nãos", Schulz finalmente teve uma tira nacional diária quando Peanuts estreou em sete jornais em 2 de outubro de 1950 e posteriormente se tornou um grande sucesso internacional. Quando anunciou seu afastamento por motivos de saúde, em dezembro de 1999, Peanuts estava em mais de 2,6 mil jornais ao redor do mundo. As tiras foram publicadas diária e ininterruptamente por quase 50 anos - o que nunca aconteceu com nenhuma outra HQ - atingindo um público de 355 milhões de leitores em 75 países e 40 línguas. O cartunista morreu pouco tempo depois de um ataque cardíaco, em 12 de fevereiro de 2000.

0 comentários:

Postar um comentário